Expectativas para 2020

Tendências, financiamentos, produtos... Como será o ano para o mercado imobiliário?

Começamos 2020 colocando nossas redes sociais no ar porque realmente acreditamos que compartilhar informações e trocar ideias são a melhor maneira de fortalecer o mercado imobiliário.

2019 terminou deixando dicas do que deverá acontecer ao longo do próximo ano (e dos próximos anos) e aos poucos, em novos posts, nos aprofundaremos em cada tema.

- Será que o Minha Casa Minha Vida vai acabar? O programa responsável pela recuperação do mercado imobiliário nos últimos anos continua sendo essencial para renda, emprego e popularidade dos nossos governantes, por isso mesmo, cada governo tenta "personalizar" o programa (mas acabar não vai);

- A redução das taxas de juros deve alavancar a venda de imóveis como um todo porque abriu a possibilidade para variadas faixas de renda, ao mesmo tempo que força os especuladores a aplicarem dinheiro empreendendo (que tal na construção civil?);

- Cada cidade tem a sua característica mas a volta de lançamentos de alto padrão em regiões que estavam sem nada novo nessa categoria já há algum tempo mostra sinal de reaquecimento;

- Principalmente no interior de São Paulo os financiamento de terreno + construção tem crescido bastante! O lado bom: ajuda a queimar estoque. O lado ruim: lotes em lançamento que ainda não estão prontos para construir tem enfrentado resistência do consumidor final e do investidor construtor;

- A redução do tamanho dos imóveis continua sendo tendência, isso não é novidade. Preço mais acessível, praticidade, melhor localização. As pessoas buscam facilidade;

- Condomínios reduzem os itens de lazer e serviços comuns a todos e apostam na personalização. O serviço está lá, mas o morador só paga pelos que ele utilizar.

- O perfil das famílias segue da forma como acompanhamos nos últimos anos: caminhamos para as famílias de no máximo 3 pessoas e muitas delas sem filhos ou com filhos "pet". Assunto interessante que abordaremos ao longo do ano;

- Os investidores também mudaram. Adultos que saem tarde da casa dos pais viraram jovens investidores (compram para investir mas não para se mudar);

- Fundos imobiliários de caráter residencial também são uma novidade para 2020 assim como o crescimento das locações por aplicativos;

- Idosos, solteiros, público LGBT, compartilhadores de moradia... O mercado como um todo precisa se adequar aos diversos públicos que buscam produtos com características específicas e procuram profissionais com sensibilidade para entender suas necessidades.

Pra começar é só tudo isso! Até a próxima!